O site do cara mais desocupado do mundo!

O patético departamento comercial da Globo

11/junho/2009 Postado em Miscelânea, Náutica

Comparemos duas matérias, uma no portal Globo.com, e outra no UOL. Ambas falam da mesma coisa: que o barco Ericsson 4, de Torben Grael, venceu a oitava perna da Volvo Ocean Race e que a equipe precisa apenas terminar as duas próximas pernas para ser campeã.

Matéria na Globo

Matéria no Uol

“Regata Volta ao Mundo”? “Suécia 4”? “Estados Unidos”? A redação do Globo Esporte fica proibida pelo departamento comercial de dizer “Volvo Ocean Race”, “Ericsson 4” e “Puma”. Será que a Globo não consegue entender o que esta atitude causa? Vamos enumerar alguns pontos.

  1. O mais óbvio: danos à imagem por ser tachada de ridícula. Não sou o único que sente ódio da Globo por uma atitude tão boçal.
  2. Danos aos esportes. Ao passo que a atitude deve incomodar, os organizadores da Volvo Ocean Race não estão perdendo o sono por não terem o nome da regata mencionado por uma emissora marrom de um país de terceiro mundo. Mas e os eventos menores aqui no Brasil que têm o nome dos patrocinadores? Você patrocinaria um campeonato a ponto de batiza-lo com o nome da sua empresa se ela não fosse sequer mencionada na emissora líder de audiência (por enquanto) e o nome do evento fosse sumariamente trocado? Com menos patrocínio, menos esporte.
  3. Danos à credibilidade. “Se não pagou, não vamos mencionar o nome correto do evento”. Então é isso? A Globo faz matérias pagas? Se a Volvo pagasse, o nome seria dito da maneira certa? Isso pra mim é atitude de jornaleco do interior.

Então, cara “Corpo Em Formato De Esfera”, aprenda: é Volvo Ocean Race, Ericsson 4, Puma, Green Dragon, Red Bull, Toro Rosso, etc.

  1. 7 respostas para “O patético departamento comercial da Globo”

  2. Por Guilherme Gomes em jun 11, 2009

    Legal, gostei do post.

  3. Por Luís Augusto Malta em jun 11, 2009

    Você já se adiantou ao que eu iria comentar: cretino os locutores e comentaristas da Grobo chamarem as equipes Red Bull e Toro Rosso de RBR e STR, ignorando seus nomes corretos só porque a Red Bull não pagou o pedágio. A Grobo só se esquece de que quem consome percebe essas estratégias e o departamento de marketing das empresas patrocinadoras sabem disso.

  4. Por Eduardo Hiroshi em jun 12, 2009

    O pior de tudo: tirando o programa Auto Esporte (que é produzido pela GW e não pela própria Globo), os carros não aparecem com marcas. Uma vez o Jornal Hoje fez uma matéria no Salão do Automóvel (acho que de 2006) e os caras cometeram a proeza de quadricular os logotipos, como se fosse um ladrão dando depoimento escondido.

  5. Por Sérgio Luiz Donadel em jun 12, 2009

    Caro Chico, concordo com todos os tópicos, não é de hoje que a G… faz isso. Depois reclamam da baixa audiência que seus programas estão tendo, não sabem por que!!!!
    Parabéns pelo blog.
    Sérgio Luiz Donadel.
    Barra do Garças – MT – Brasil

  6. Por Felipe em jun 16, 2009

    Luís, até perdoo a Globo em relação aos nomes da Red Bull e Toro Rosso. A imprensa internacional também costuma tratá-las por RBR e STR. No entanto é um deserviço à população quando ela fala “exposição no shopping localizado na Zona Sul de BH”.

    Foram por essas e outras que está acontecendo uma debandada na Superliga de Vôlei, onde o Vivo/Minas é “Minas”, o Rexona vira “Rio de Janeiro” e o finado Finasa era o “Osasco”.

  7. Por Rodrigo em jul 29, 2009

    Concordo. Qualquer dia vão transmitir a Fórmula 1 quadriculando as marcas dos patrocinadores nos carros. Globo é uma bosta. Só assisto quando não resta nenhuma outra opção!

  8. Por Everton Moraes em jun 27, 2010

    vi esse post so agora e devo dizer que nao concordo com sua postura, o departamento de marketing sabe muito bem que ao patrocinar um nome de um evento corre o risco de nao ser citado. assim como quem transmite nao tem obrigação de cita-lo! seria facil não ? transmissão envolve muito profissionais e a empresa patrocinadora não paga divulgação do evento nas transmissões, a transmissão e ou matéria é do esporte em si, porque teria que se falar da marca ?

    deixo claro que essa é minha posição para este caso especifico, quanto a formula 1 e salão do automovel são casos diferentes é mesquinharia quadricular a marca dos carros e na formula 1, fiquem sussegados, a organização do evento so permite as transmissões se EXIBIREM as marcas e quem for detentor dessa transmissão comercializa a mesma, assim como no futebol.

Aqui não, hein?